CorosCoro PACTIS

O Coro PACTIS, fundado em 1991 por Fátima Gonçalves, que o dirige desde então. Vocacionado para coro a cappella, a história do grupo conta já com um grande número de atuações nos Açores, continente Português e estrangeiro, Destacam-se as deslocações a Almada (Festival Internacional Costa Azul – 1996), Lisboa (atuação na igreja do Sacramento, a convite do responsável do Orfeão da Rádio Renascença), aos Estados Unidos da América (Universidade de Massachusetts, de Darmounthe, Universidade Estadual de Turlock e igreja da mesma cidade, Artesia e Tulare), ao Parlamento Europeu (1998), Gaia (Encontros de Coros da Casa da Gaia – 1999; Concerto de Natal – 2000) e Guadalajara (VI.ª Bienal Polifónica da Província de Guadalajara).

Em 1996 participou no Cd editado pela ACERT (Associação Cultural Recreativa de Tondela), e gravou o seu próprio Cd. em 1999 participou no projeto Os Melhores Coros Amadores da Região, da Public-Art Editora. Refiram-se ainda as várias gravações para a RTP-Açores, nomeadamente o documentário apresentado na “Mostra Atlântica”, na Expo/98 e o intitulado Património Natural, da realizadora Teresa Tomé – 1999).

Em 2016, volta a participar numa gravação de Cd, desta feita com Ronda dos Quatro Caminhos, “Sopa dos Espirito Santo”, na com a canção “Quando o Menino Nasceu”

A 20 de junho de 2000, o PACTIS é distinguido pela Câmara Municipal da Praia da Vitória com a medalha de valor cultural.

Em maio de 2001 tornou-se membro da Federação Europeia para Coros de Jovens, Europa Cantat.

A 26 de Fevereiro de 2009, o PACTIS constitui-se em Associação, denominado a partir dessa data como “Associação Pactis Para o Canto Livre”.

A convite do Grupo de Teatro Alpendre, participa na peça \”Sonho de uma noite de Verão\” de Shakespeare, estreada a 13 de janeiro de 2012.

Formações:

  • de 28 agosto a 6 de setembro de 2004, participa na “ALPE ADRIA CANTAT 2004, SETTIMANA INTERNAZIONALE DI CANTO CORALE”, Lido di Jesolo-Veneza, no atelier “Vocal Pop Jazz” com o diretor Jonathan Rathbone;
  • de 3 a 8 de setembro de 2007, participa no Workshop de “Voz e Orquestra” coordenado por Paula Oliveira, evento promovido pelo Teatro Micaelense;
  • De 22 a 29 de agosto/2010 participa na formação da prestigiada escola do Reino Unido, International a Cappella School, com o objetivo principal o aperfeiçoamento da técnica do canto em coro e a capella, ministrado por Stephen Connolly, Director musical e elemento dos King’s Singers.

Das organizações de concertos e espetáculos, destacam-se:

  • em 1998, o Concerto de Páscoa, na Matriz da Praia da Vitória, com o tenor José Manuel Araújo, professor do Conservatório Nacional de Música de Lisboa e a soprano Elvira Ferreira como convidados e nos três anos seguintes, a organização do concerto de Natal.
  • a 19 de outubro, de 2003, estreia-se com “I Recital do PACTIS ”; recital dividido em duas partes, a primeira inteiramente dedicada a “Ave Marias” clássicas e contemporâneas, festejando, a seu modo, o ano católico dedicado ao “Terço”, a segunda preenchida com uma seleção de algumas das melhores canções do musical “CATS” de Andrew Lloyd Webber e poemas de T.S. Eliot, Old Possum\’s Book of Pratical Cats (1939), O contraste musical foi deliberado, visando contrabalançar a solenidade com a leveza e a graça. A coreografia da responsabilidade de Valter Peres e o acompanhamento musical por Janeen Teixeira ao piano e Rodrigo Lima na flauta transversal.
  • a 7 de maio de 2005, com II Recital intitulado “Cantar ABBA”, estreia-se na música pop, interpretam 12 êxitos, harmonizados para coro, do famoso grupo Belga, convida 4 vozes masculinas, Hugo Roque, Marco Borges, Renato Garcia e Roberto Santos. No intuito de respeitar a sonoridade característica do ABBA, é acompanho pelas guitarras elétricas de Miguel Ângelo e Bruno Ázera, bateria Sérgio Pereira e ao piano Janeen Teixeira/Antero Ávila. A coreografia da responsabilidade de Paula Moniz.
  • – a 14 de julho de 2006, o III Recital “Pactis & Rock ‘n’ Roll”, com 14 dos maiores êxitos dos anos 50, mas temas de sempre como o “Rock Around Clock”, “Hound Dog” ou “Love Me Tender, coreografia de Valter Peres e dança de Paulo Borges, é acompanhado pelas guitarras elétricas de Miguel Ângelo e Bruno Ázera, bateria Sérgio Pereira e ao piano Antero Ávila.
  • a 4 de abril de 2008, estreia o IV Recital, inteiramente dedicado à musica portuguesa, “Tentar Fado”, nome escolhido para as interpretações do fado em coro e a capella, com harmonias para quatro vozes de José João Diniz da Silva e Francisco Rocha, a solo as vozes do PACTIS são acompanhadas ao piano pelo maestro Antero Ávila.
  • A 14 de maio de 2011, com o V Recital o PACTIS homenageia “100 anos de música da Broadway” e da grande herança do teatro musical, através de um medley de canções intemporais com coreografias da responsabilidade de Sara Pires do Nascimento, narrado por Patricia Lima e com o acompanhamento musical ao cuidado dos músicos: Janeen Teixeira ao piano, Antonella Baretta ao sintetizador, Paulo Borges na trompete, Rodrigo Lima na flauta transversal, Antero Ávila no baixo e Cristiano Silva na bateria.
  • A 5 de abril de 2013, concretiza a parceria com os Wave Jazz Ensemble, em concerto no Auditório do Ramo Grande, para além da peça que deu nome ao concerto, The Litlle Jazz Mass, de Bob Chilcott, foram também interpretados espirituais negros tradicionais e standards do Jazz.
  • Participa com a Filarmónica União Praiense nos vários espetáculos dedicados à banda de rock britânica dos anos 60 “ The Beatles”.
  • Estreou no passado dia 1 e 2 de maio, com a OSIT – Orquestra de Sopros da Ilha Terceira, o e espetáculo dedicado à música da Banda Queen.
  • Novamente em parceria com os Wave Jazz Ensemble, e a convite da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, apresenta o Concerto de Natal, a 20 de dezembro de 2015, no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo.

Festejou o 25.º aniversário a 20 de maio 2016, com uma exposição fotográfica do seu percurso e, dois concertos intitulados “Não Há Estrelas no Céu”, inteiramente dedicados à música de Rui Veloso, com arranjos do Maestro Antero Ávila, no Auditório do Ramo Grande, com apoio da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Cooperativa Praia Cultural.

Ao longo do ano de 2017, preparou-se o concerto, em parceria com a Orquestra Angra Jazz, “The Andrews Sisters as vozes que despertaram emoções”, estreado a 12 de novembro, no Auditório do Ramo Grande e, a 25 de novembro, integrado nos Serões do Teatro Angrense, com a direção dos maestros Pedro Moreira e Claus Nymark.

A 11 de agosto, integrado nas Festa da Praia, retoma o projeto QUEEN, em parceria com a OSIT.

Inicia o ano de 2019, participando no Concerto de Ano Novo na Igreja de S. Miguel Arcanjo, promovido pela Junta de Freguesia de Vila das Lajes.

Contacto

Filomena
917299660
coropactis@yahoo.com

Maestrina

Fátima Gonçalves

One comment

  • Domeny Internetowe

    July 13, 2022 at 3:41 am

    I gotta say this internet web page is definitely unique, hold submitting fantastic info.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Uma iniciativa da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.